VIDEO

Uma das perguntas mais frequentes feitas por quem está começando a estudar ou pesquisar sobre as psicologias energéticas é se o TFT – Thought Field Therapy (Terapia do Campo do Pensamento) – é a mesma coisa que o EFT – Emotional Freedom Technique (Técnica de Libertação Emocional), ou quais as diferenças e semelhanças entre o TFT e o EFT?

Resumidamente, pode-se dizer que o EFT – Emotional Freedom Technique – é uma técnica criada por um engenheiro americano chamado Gary Craig, que estudou o TFT com o Dr. Callahan e derivou a sua técnica do mesmo.

O EFT da forma como foi compilado por Craig, é uma forma resumida e simplificada do primeiro nível de TFT, os Algoritmos. Parar explicar as diferenças e semelhanças entre as duas técnicas gostaria de contar brevemente minha caminhada na estrada das psicologias energéticas.

Eu, assim como muitas pessoas mais, conheci primeiramente o EFT em 2005 e comecei a usá-lo em atendimentos terapêuticos em meus clientes com bons resultados, cerca de 65% de sucesso nos casos atendidos. Por ser uma pessoa que busca sempre me aprofundar e aprender mais e se possível diretamente de suas fontes, ao ver estes bons resultados, me motivei a estudar e conhecer o TFT por ser a técnica que deu origem ao EFT.

Em 2008 fui estudar o curso TFT Boot Camp, onde é ensinado os dois primeiros níveis de TFT. Imediatamente após retornar ao Brasil continuei atendendo usando as duas técnicas e pude verificar na prática que quando o EFT não funcionava, os Algoritmos funcionavam e se eventualmente estes também não funcionavam, então o TFT Diagnóstico Causal era capaz de identificar e tratar os bloqueios ao tratamento e também obter sucesso, ao identificar uma sequência específica para aquele cliente e seu problema em particular. Dessa forma, vivenciei na prática os cerca de 80% de sucesso dos Algoritmos e 95% de sucesso do Diagnóstico Causal.

Explicando agora mais tecnicamente suas diferenças e semelhanças, os Algoritmos são sequências de pontos específicas para cada tipo de problema emocional e dores físicas. Os pontos utilizados são os mesmos usados no EFT, porém a ordem destes pontos é que fazem a diferença nos Algoritmos.

Então surge naturalmente outra pergunta, se a ordem dos pontos é tão importante por que o EFT, que faz o tapping aleatoriamente nos pontos, também obtém sucesso em muitos casos?

Essa resposta também obtive de minha observação direta nos atendimentos e estudo de ambas as técnicas.

O fato do tapping aleatório do EFT funcionar muitas vezes, não contraria o postulado do Dr. Callahan da importância da ordem dos pontos. Segundo Dr. Callahan, essa ordem atua como a combinação da senha de um cadeado para destravá-lo. Por exemplo, se para determinado problema eu necessitasse de três pontos de tratamento, por exemplo, na ordem 1- Ponto Abaixo do olho (meridiano do estômago), 2- Ponto abaixo da Axila (meridiano do baço) e 3- Clavícula (meridiano do Rim) 4- procedimento gama 9 (que é igual no EFT) e 5, 6 e 7 são a repetição dos três primeiros pontos na mesma ordem, então digamos que ao fazer o tapping aleatoriamente pelo EFT que a cada rodada completa eu acerte a ordem de 1 ponto, mais o gama 9 e outro ponto após o gama 9. Então seriam necessárias 4 rodadas do EFT para acertar uma vez essa sequência completa do TFT (três pontos-gama 9-repetir os três pontos).

Agora, supondo que o cliente precise de 4 rodadas desse algoritmo de TFT para se tratar completamente de um problema, então seriam necessárias 4 x 4 = 16 rodadas do EFT para se obter o mesmo resultado para este cliente.

Muitos problemas conseguem ser tratados com apenas 1 ou 2 pontos, como no caso da fobia de água de Mary, que foi o primeiro caso do Dr.Callahan que deu origem ao TFT, tratada apenas pelo ponto abaixo dos olhos, e para estes casos mais simples o EFT é de grandíssima ajuda, porém existem casos mais difíceis de serem tratados, seja pela complexidade ou gravidade do problema, ou devido aos bloqueios energéticos e psicológicos e também pela necessidade de muitos pontos de tratamentos. Por exemplo, o algoritmo de trauma complexo com raiva e culpa do TFT é uma sequência de 8 pontos – gama 9 – repetição destes 8 pontos. Para cada rodada de TFT nesse caso, são equivalentes a 9 rodadas de EFT. Novamente, imagine se um cliente necessite de 10 rodadas deste algoritmo para tratar seu problema completamente, seriam 10 x 9 = 90 rodadas de EFT. Assim, o EFT é mais simples de usar e o TFT é mais eficiente e direto ao ponto no sucesso do tratamento.

Dessa forma, posso afirmar, pela experiência de quem atuou por um bom tempo com as duas técnicas, que a ordem é pertinente e importante e isso se torna mais evidente ainda quando um algoritmo não funciona em um caso e logo em seguida a sequência específica obtida pelo Diagnóstico Causal consegue resolver o problema.

Isso fica mais forte ainda, quando o motivo do não sucesso do EFT ou do Algoritmo ter sido causado por um bloqueio de reversão psicológica de níveis mais profundos ou por toxinas no corpo físico que atrapalhavam ao tratamento. Tenho diversos casos para dores físicas e emocionais onde ambas as técnicas não funcionaram primeiramente e logo após identificar e tratar as toxinas e os bloqueios de reversões em níveis mais profundos usando o Diagnóstico Causal, então o mesmo Algoritmo e o EFT que não haviam funcionado minutos antes agora obtiveram sucesso. Novamente tornando evidente, pelos resultados, que estes bloqueios são muito importantes de serem tratados para um tratamento ter maior chance de sucesso.

O EFT possui a vantagem de ser mais acessível a todos e um pouco mais fácil de usar, porém é, principalmente, para os casos mais complexos que o TFT faz toda a diferença e se você pensa em se tornar um terapeuta profissional ou se já é e pretende aprimorar ainda mais a qualidade de seus atendimentos, vale muito a pena estudar o TFT.

Para aqueles que estão começando sua caminhada dentro das psicologias energéticas, seja para auto tratamento ou para atendimentos à clientes, recomendo também conhecerem e aplicarem o EFT. Os alunos que se inscreverem para o curso TFT Algoritmos ganham como bônus o material do curso de EFT que eu lecionava antes de ter tido a oportunidade de me aprofundar no TFT, isso é uma boa preparação e lhe permitirá adquirir familiaridade com as técnicas detapping já antes do curso.

Tenho certeza que, assim como foi para mim, os bons resultados que você obterá com o EFT, irão despertar sua vontade de voar cada vez mais alto e aprender a fundo o TFT.

Apenas finalizando minha história para os dias de hoje, em dezembro de 2011 estava muito desejoso de fazer o curso avançado de TFT Optimal Health, porém dados às minhas circunstâncias naquela época eu não possuía tempo e dinheiro para fazê-lo fora do país. Conversei algumas vezes com a Joanne Callahan por skype, que é uma pessoa muito gentil e amorosa, e foi no Natal de 2011 que então recebi o email mais importante da minha vida até hoje, onde ela perguntava se eu desejava trazer ela e o Dr. Callahan para sua primeira vinda ao Brasil em 2012.

Não tive dúvidas, meu coração se encheu de alegria pela oportunidade não só minha de aprender uma técnica tão incrível como o TFT Voice Technology, mas também porque naquele instante se passou, em uma fração de segundo, a imagem de milhares de pessoas que serão ajudadas pelos alunos que fizerem este curso, multiplicando assim de forma inimaginável para mim o alcance da ajuda que o TFT poderá e já está trazendo ao nosso país!

Assim, de janeiro à outubro de 2012, me dediquei de corpo e alma, em média de doze horas por dia nos sete dias da semana, na tradução dos materiais escritos e dos DVDs, além de toda a organização e divulgação dos cursos. Todo esse esforço foi recompensado com uma turma de 46 alunos de todo o Brasil para o curso Boot Camp e de 12 alunos para o Optimal Health. Não foi tanto pelos números que poderiam até ter sido maiores, mas pela distribuição dos alunos por todos os estados do Brasil, levando assim uma semente para cada canto de nosso país!

Com alegria por poder compartilhar,

Leandro Percário TFT-Adv
Fundador do Instituto TFT Brasil